GREEN KNIGHT


Este Blog destina-se à partilha da vida e de algumas experiências que vou partilhando com os amigos que aqui resolvam entrar e deixar o seu rasto. São todos bem-vindos e espero que gostem das coisas que vou postando, dentro das minhas possibilidades.Gostaria que este Blog fosse mesmo um campo de papoilas, em que possamos trotar felizes. E conto com as vossas agradáveis visitas! Um abraço a todos!







segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

UMA INFÂNCIA SAUDÁVEL

Descendo de uma família com origens muito humildes, mas com grande sentido, na valorização humana através, do seu trabalho, inserção social e fazendo sempre por merecer o respeito do seus semelhantes.
Natural de Samora Correia, simpática vila ribatejana, onde teimosamente, continuam a manter as velhas tradições, das festas pagãs.
Com tão definidas origens, fui criado na minha infância pelos meus avós maternos, que me transmitiram muitos valores, não só pela sua experiência, como me ensinaram a estudar as vertentes da Natureza, que não têm fim.
Especificando, esta minha análise, o meu avô foi abegão de um ganadeiro do Ribatejo, Francisco dos Santos Alfaiate, na herdade da Formiga, e mais tarde no Juncal, em plena lezíria do Ribatejo.
Homem talhado para a liderança de todas as tarefas do campo, sabendo executá-las, como ninguém, merecendo por isso o respeito e a confiança do seu patrão e gozava da admiração de quem ele dirigia.
Campino afamado, pelos seus feitos, no desbasto de cavalos, no acompanhamento dos toiros desde a sua nascença até a idade adulta, com todos os perigos inerentes nas suas fainas.
Todas estas influências eram puras aulas para se entenderem as coisas da vida, porque na observação de cada pormenor nos animais, através dos tempos achamos por vezes, semelhanças incríveis com as pessoas.
Seria fastidioso descrever aqui, aquilo, que eu penso, sobre o que foi para mim a grande universidade da minha vida.
Só quero acrescentar muito breve, que o meu avô sem saber ler
foi; veterinário, ferreiro, treinador de cavalos, tractorista, definia qual o tempo ideal para as sementeiras, através dos ciclos da lua, educador e muito mais tinha para dizer de tão grande fortuna que recebi.

15 comentários:

São disse...

Parabéns pelo avô e pelo orgulho que demonstra nele e nas suas origens!

Um abraço a vós.

SEVE disse...

"O homem mais sábio que conheci não sabia ler nem escrever" - José Saramago

Zé do Cão disse...

Um grande abraço, amigo.

Também aprendes-te muito com a escola da vida, não foi?
E o avô também foi dentista?


Abração e cumprimentos à esposa

SEVE disse...

É esta a verdadeira cultura de um povo, aquela que se transmite de pais para filhos e de avós para netos.E é aqui, acreditem, que está a riqueza de uma Nação.
Desconfio no entanto, infelizmente, que esteja a perder-se.

elvira carvalho disse...

Desculpe a minha ignorância, mas o que é abegão?
Também descendo de uma família muito humilde. E não me envergonho disso antes pelo contrário sinto um certo orgulho nas minhas raízes.
Um abraço

Kim disse...


Cada vez que falas do teu avô, sinto-te mais feliz. E fico contente, por ti.
Nunca a palavra avô quis dizer tanto como aqui.
Às vezes - avô, é mais que duas vezes pai!

Green Knight disse...

São! de facto tenho muito orgulho neste já falecido avô.
Quando oiço aquela velha máxima expressão: "por uma questão de princípios". Este meu avô está no top da minha essência.
Beijinhos São
Jrom

Green Knight disse...

Seve!O que este nosso avô sabia e fazia que eu tive a oportunidade de testemunhar com olhos de criança, hoje os seus conhecimentos e feitos dariam para uma longa dissertação.
Um abraço
jrom

Green Knight disse...

Oh! Zé! Bem observado! Claro que foi dentista,agricultor Etc.
Eu proprio fui seu paciente,tambem me arrancou dentes com o processo da linha.Tinha medicamentos que tanto aplicava nos animais como em nós.Estou vivo e de saúde felizmente.
Um abraço Zé
jrom

Green Knight disse...

Elvira! A frase abegão era aplicada no Ribatejo ao superintendente prático numa herdade.
Fui ensinado a ser humilde, porque a pobreza se encontra na arrogância.
Me desculpem os arrogantes.
Beijinho Elvira
Jrom

Green Knight disse...

Kim é bom ler o que dizes e falar contigo.
Dispensas-me sempre, das grandes explicações.
Um abraço amigo
jrom

DAD disse...

Que lindo texto! Gostei muito!
Beijinho grande,

Laura disse...

Caramba, mas que avô com canudo, mesmo sem o ter!

É que, infelizmente, aqui só vale o senhor Dr o senhor Engenheiro e por aí fora!
Faço parte da minoria que não liga a Doutores carregados de livros...como se dizia antes...

O que mais gosto de ver nas gentes é a amizade e o carinho com que nos tratam e tratam o próximo, e o resto é tudo treta de certificados nem sempre conseguidos à custa de suor e lágrimas!

Gostei de ler, daí vem o teu amor pelos cavalos e pela natureza!

laura

Maria disse...

Amigo Zé
É sempre bonito ver alguém falar com orgulho das suas origens. São as famílias a que tu chamas humildes que, dão os grandes homens. São esses que dão lições de vida vivida e sã.
Tens toda a razão em ter orgulho do teu avô.
Parabéns para ele e para ti.
Beijinhos à Mariana
Maria

Maria disse...

Amigo
Depois de ler todos os comentários (sou cusca) li o do Seve que, cita Saramago. Para ajudar, cá vai uma frase do pai do Torga, quando alguém lhe perguntou se sabia que o filho era um grande escritor. A resposta veio pronta e orgulhosa: "Não faz mais que a obrigação dele. Eu sou o melhor cavador cá do sítio". Este também não sabia ler mas, era sábio.
Beijo
Maria