GREEN KNIGHT


Este Blog destina-se à partilha da vida e de algumas experiências que vou partilhando com os amigos que aqui resolvam entrar e deixar o seu rasto. São todos bem-vindos e espero que gostem das coisas que vou postando, dentro das minhas possibilidades.Gostaria que este Blog fosse mesmo um campo de papoilas, em que possamos trotar felizes. E conto com as vossas agradáveis visitas! Um abraço a todos!







sexta-feira, 11 de novembro de 2011

SERÁ O DESTINO?



POR QUE PRECISAMOS DE DESASTRES?
A grande maioria das pessoas só aprende alguma coisa quando bate com a cabeça na parede! Porquê? Porque é mais fácil não mudar. Por isso continuamos a fazer o que sempre fizemos até batermos com a cabeça na parede.
Tomemos a saúde como exemplo. Quando é que mudamos a dieta alimentar e começamos a fazer exercício? Quando o nosso corpo começa a falhar… quando o médico diz: “ Se não mudar o seu estilo de vida, vai acabar por se matar!” De repente, estamos motivados!
Nos relacionamentos… quando é que normalmente dizemos uns para os outros o que nos vai no coração? Quando o casamento se desmorona, quando a família se está a desintegrar!
Na escola… quando é que finalmente nos aplicamos e começamos a estudar? Quando estamos prestes a chumbar.
Nos negócios… quando é que experimentamos ideias novas e tomamos decisões difíceis? Quando já não conseguimos pagar as dívidas.
Quando é que finalmente aprendemos a dar atenção ao cliente? Depois de os clientes já se terem ido embora!
Quando é que normalmente rezamos? Quando a nossa vida está um caos! ” Meu Deus querido, sei que já não falo contigo desde a última desgraça…”
É precisamente nos momentos difíceis que aprendemos as maiores lições.
Quando é que tomou as decisões mais importantes da sua vida? Quando estava de rastos… depois de desastres, depois de reveses, depois de levar uma sova da vida. É nessas alturas que dizemos a nós mesmos:
“ Estou farto de não ter dinheiro, estou farto de ser maltratado.
Estou farto de ser medíocre. Vou fazer alguma coisa”.
Celebramos o sucesso, mas pouco aprendemos com ele. Os fracassos magoam, mas é precisamente nessas alturas que assimilamos alguma coisa. Em retrospectiva, podemos ver que os ” desastres “ foram momentos de mudança.
As pessoas eficazes não vão procurar problemas, mas quando a vida lhes bate, perguntam-se: “ Em que preciso de mudar o que penso ou que faço? Como é que posso ser melhor do que sou agora?” Os falhados ignoram todos os sinais de alerta. Quando o telhado lhes cai em cima, perguntam:
“ por que é que tudo me acontece?”
Somos criaturas de hábitos. Continuamos a fazer o que habitualmente fazemos até sermos forçados a mudar.


Não necessariamente. O universo está sempre a usar pequenos sinais para nos dar encontrões.
Quando ignoramos os sinais, o universo usa um martelo pneumático.
Crescer torna- se muito mais difícil quando resistimos
Andrew Matthews

15 comentários:

Maria disse...

Amigo
Cá estou como prometi.
A minha cunhada diz duas frases que, me dizem muito:1ª Se os conselhos fossem bons, não se davam, vendiam-se.2ª Não preciso de conselhos de ninguém. Faço bem as minhas asneiras.
Não concordando totalmente com elas, há um fundo de verdade.
Só aprendemos com uma boa cabeçada, ou um valente encontrão. Só que há uns que aprendem à primeira, outros levam a vida inteira a ser avisados e nunca aprendem. Eu, felizmente, sou das primeiras. Sempre aprendi com os meus erros e, procuro não os repetir.
Gostei do texto.
Beijinho
Maria

Green Knight disse...

É verdade Maria! Somos imperfeitos.
Devíamos cuidar de igual maneira da:mente,corpo e espírito.
Concordo que até errar é um direito.
Também é certo que através dos erros se aprende muito, assim como uma grande parte dos errantes não aprendem nem querem aprender.
Também faço parte dos que me esforço para não chegar ao segundo.
qualquer pancada na minha cabeça doi-me toda a vida.
Beijinho maria
jrom

Anónimo disse...

Pois é!Chegamos a certas alturas na vida em que estamos prontos para receber novas informações.Até que chegue essa altura,há coisas que podem estar mesmo á frente do nosso nariz e nós não as vemos.Mas assim que se aprende uma lição, passamos à seguinte.
Bom texto.
Mariana

laura disse...

Olá Zé!
A maioria não aprende porque pensa que a razão lhe assiste e só vê os erros dos outros e não os seus!

Claro que desde que nasci levei na cabeça em quantidade considerável, o que faz com que pense duas vezes antes de fazer pior...mas, a vida, o sentimento, as coisas como se nos apresentam também mudam a nossa forma de pensar! mas uma coisa é certa;acho que aprendo logo à primeira, não sou burra, logo...

O Kim ontem foi almoçar com a Neide em Manhatan, aguardo as fotos que me prometeu, e iam ao Central Parque. Há gente com sorte, se há.
Um abraço.

laura

Kim disse...

E - às vezes, também é um desastre não ter amigos. Só damos conta que os perdemos quando deles sentimos falta.
Felizmente que ainda há amigos como tu e perder-te seria um erro bem difícil de corrigir.
Tento sempre lembrar-me que a vida é um instante e nós não somos nada.
Sem amigos e sem quem goste de nós não somos mais do que uns simples passantes por uma vida bem mais pobre.
Abraço-te amigo!

Green Knight disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Green Knight disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Green Knight disse...

Laura, fico contente da tua Neide estar com os nossos amigos nos States.
Também é uma forma de de analizarmos, que afinal o globo não é assim tão grande.
Espero que ninguém faça más interpretações deste texto, não tenciono atingir ninguém em especial.
Bjs jrom

Green Knight disse...

Kim, amigos meus têm-me à perna quer queiram ou não.
Também faço "pactos" selados no meu íntimo. "patos"

Ninguém perde nada, "a não serem os euros"
Mais não digo para não parecer uma declaração.
Um abraço Kim
jrom

SEVE disse...

É muito simples: -só nos podemos levantar quando caímos...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Cavaleiro

... Ai verdinho, meu verdinho, esquecer-te não há maneira
tu que eras meu amiguinho
esqueceste-me por brincadeira?...

(Não é plágio, é uma adaptação mais ou menos... livre.

Realmente,somos criaturas de hábitos. Continuamos a fazer o que habitualmente fazemos até sermos forçados a mudar. E aí éke está o busílis da questão.

Porque, muitas vezes, quando pensamos em mudar - não mudamos. Já não podemos.

Abç

Green Knight disse...

Amigo Ferreira por princípio não tenho por hábito esquecer os amigos.
Quanto a comentar aí está o meu busílis.
Gosto mais de acompanhar o que se vai escrevendo.
Quanto a mudarmos?... Todos conseguimos, se o objectivo for de nos tornarmos melhores pessoas
Um abraço amigo Ferreira
jrom

Green Knight disse...

Seve após 50 anos de trabalho, conheci muitos colegas que passavam a vida com baixa no seguro por acidentes de trabalho.
Outros haviam, como no meu caso, que sempre estiveram atentos na prevenção, onde aprendiam as regras.
Somos dos países com mais acidentes e nem por isso aprendemos. Basta repararmos no que podiamos denunciar, em qualquer obra de rua.Com esta educação temos um país que quase lhe chamo de "acidente" sem solução.
Um abraço
jrom

Je Vois La Vie en Vert disse...

Olá Zé,

As crianças precisam de cair para aprender e também chamam os progenitores quando chegam à conclusão que precisam da sua ajuda.

Beijinhos
Verdinha

Green Knight disse...

Verdinha!Relmente assim acontece, aos que na vida têm esse previlégio, nem que seja por pouco tempo.Bom fim de semana
Abraço amigo
jrom